O que é o tantra e o tantra erótico

Tantra é uma disciplina espiritual muito antiga. Tantra, tan – esticar e tra – salvar, é muitas vezes traduzido conjuntamente como prolongamento ou união do corpo e mente. Tantra é simultaneamente o nome de uma determinada doutrina e de determinada categoria de textos que pertencem à doutrina, os TANTRAs.

(Hoje, grande parte do chamado ensinamento Tântrico, no ocidente, baseia-se em conhecimento muito escasso do Tantra original.) Esta tradição é muito mais abrangente do que a forma como é entendida no ocidente. O tantra tem duas abordagens gerais: a mão esquerda – e a mão direita do Tantra. Somente a mão esquerda do Tantra está relacionada com erotismo. A mão esquerda do Tantra é apenas 5% de toda a tradição, os outros 95% são Yoga, meditações e outras disciplinas. Através do yoga clássico com posturas e exercícios de controlo da energia, os tântricos limpam o seu corpo, abrem os canais energéticos e os 7 chakras, os centros de energia e de consciência.

Fazer amor como um instrumento de transformação espiritual

O Tantra combina corpo e mente, alegria e espiritualidade. Enquanto muitas tradições espirituais tentam evitar a sexualidade e até mesmo condená-la como suja ou má, o Tantra usa-a como uma ferramenta. Isto significa que, através do controlo da energia, torna-se possível utilizar o acto de fazer amor para a evolução. O prazer de fazer amor torna-se um ponto fixo da consciência e a sexualidade é vista como um dínamo para alimentar os níveis mais elevados do praticante.

Tal como na tradição taoísta, os Tântricos evitam o curso descendente dos orgasmos explosivos. No caso do homem o orgasmo explosivo significa ejaculação. Em vez disso, esta energia leva a um orgasmo muito mais poderoso a um nível superior. Desta forma não se perde energia e os amantes pode continuar por muito mais tempo, até mesmo por horas. Através deste controlo centrado da energia, os níveis mais elevados de consciência são abertos, isto requer grandes quantidades de energia. Gradualmente esta torna-se uma aventura, de abertura e experiência a novos níveis de consciência.

No Tantra clássico é muito importante focar-se no amor, mais do que em sexo. O sexo é o motor, mas sem amor não eleva a um nível superior. Fazer amor desta forma fortalece vivamente os sentimentos entre os amantes e torna o relacionamento muito profundo. A maioria das pessoas entende amor numa forma condicionada, no sentido de “se tu fizeres como eu quero, então eu amo-te”. Aqui referimo-nos ao amor incondicional.

Shakti e Shiva – o casal divino

Shakti e Shiva são as expressões tântricas para os aspectos universais feminino e masculino como yin e yang são para a tradição Taoísta. O homem concentra-se para ver a Shakti na mulher como a mulher se concentra para ver o Shiva no homem. A isto se chama ver o divino no seu parceiro.

tantra

Quando nós estamos apaixonados isto é muito fácil, no entanto, quando deixamos de estar, tendemos a esquecer. Ver este aspecto superior do seu parceiro é fazer amor ao nível da alma, não só ao nível do corpo. O encontro, a este nível, irá criar automaticamente um profundo sentimento de amor incondicional. Isto permite ao casal ficar numa frequência muito alta, resultando em surpreendentes expansões de consciência. Neste campo não existem emoções negativas. Possessividade, inveja, ódio e depressão passarão a fazer parte do passado. Dessa forma, fazer amor torna-se numa meditação extasiante, uma viagem na alegria e benção. Poderá parecer exagero, mas seguramente não é, muito pelo contrário.

O casal sentir-se-á como um deus e uma deusa e sentirão que estão a fazer amor com outro deus/deusa. Esta é a verdadeira natureza interior de cada indivíduo numa perspectiva tântrica. Geralmente não temos consciência disto. Os praticantes mais avançados poderão experienciar estado de fusão; todos os sentimentos de separação desaparecem durante o acto de fazer amor e o casal atinge os níveis mais elevados de consciência. Esta é a perfeita fusão de Shiva e Shakti.

O Tantra erótico não faz a sexualidade ou o acto de fazer amor algo mais complicado – pelo contrário, o sentimento mais forte durante e após fazer amor tantricamente é a naturalidade e simplicidade. Finalmente percebemos por que razão o homem e a mulher querem amar e fazer amor.

Tantra ancestral: a cura para problemas modernos

A sociedade moderna é muito exigente e a maioria das pessoas tem emprego, família e outras responsabilidades. A maioria das pessoas também tem uma vida sexual. O Tantra é muito especial no sentido em que oferece um caminho para o desenvolvimento físico, emocional, mental e espiritual sem ser necessário uma grande mudança de estilo de vida. Na realidade, muito do que a maioria das pessoas já faz pode, com esta formação, tornar-se um caminho de desenvolvimento. De facto até oferece um aumento de alegria e de prazer.

Muitas pessoas sofrem de stress, de esgotamento, depressão sazonal e alergias. O Tantra possibilita um alívio significativo e rápido para estes problemas. Também problemas como impotência, desequilíbrio hormonal e má digestão são característicos da sociedade moderna e podem ser resolvidos a seu tempo. Ter saúde é um tesouro a manter com muito cuidado.

A compreensão mais profunda dos aspectos de Shiva e Shakti ajuda muitas pessoas a encontrar a sua identidade como homens e mulheres e, assim, mais facilmente, o seu lugar na vida. Nos países nórdicos a feminilidade atravessa tempos difíceis. Se aparecer uma mulher muito feminina, ela é muitas vezes considerada estúpida ou fácil especialmente por outras mulheres. Também os homens têm frequentemente problemas em encontrar uma forma equilibrada de serem masculinos. No Tantra utiliza-se e aumenta-se esta polaridade entre homem e mulher.

Quanto mais forte for a polaridade, mais forte será a energia entre o casal, como com o magnetismo ou a eletricidade. Isto irá manter a vida amorosa, sem que ela se torne enfadonha. O Tantra sublinha a utilidade de relacionamentos longos, uma vez que permitem aos praticantes aprofundarem-se, assim, alcançarem mais. O seu parceiro será sempre uma inspiração para si e a relação, desta forma, terá a oportunidade de se tornar a experiência de uma vida.