Lei da Ressonância: A chave das manifestações do Universo

Lei da ressonância: A chave secreta de todas as chaves da manifestação do universo

Para a mente ocidental, a linguagem do yoga e de outros caminhos espirituais é muitas vezes dificil de decifrar: os símbolos e as metáforas são uma selva onde tanto os iniciados como os não-iniciados (maioritariamente) se perdem.

A chave secreta que abre todos estes segredos e significados perdidos é a ressonância. A ressonância é muito fácil de entender para a mente ocidental, tão centrada na abordagem científica da realidade. À luz da ressonância, todas as metáforas e os símbolos imediatamente começam a fazer sentido, tornando-se ao mesmo tempo numa porta genuína em direcção a realidades invisíveis.

Definição

A lei da ressonância tem um carácter relacional, isto é exprime a forma na qual duas ou mais coisas ou fenómenos aparentemente diferentes que seletivamente se comunicam (estão ligados), estando integrados num todo unitário. As conexões que unem todas as coisas no universo têm como base o processo da ressonância.

O segredo fundamental da prática de yoga é criar e manter um processo da ressonância.

A ressonância é um processo de iniciação e amplificação de uma resposta vibratória num sistema receptor que está sintonizado com um sistema emissor.

É muito importante entender que a ressonância só começa quando a frequência dos dois sistemas (o receptor e o emissor) é muito próxima ou idêntica. No yoga, o processo de ressonância é criado e mantido principalmente pela permanente atenção focada (concentração mental sem esforço). Durante a ressonância, as frequências cósmicas (energias vibratórias) que são continuamente emitidas como ondas cósmicas por centros interestelares, galáxias ou planetas podem ser recebidos pelos focos correspondentes do corpo humano subtil da mesma forma que um rádio pode ser sintonizado a diferentes frequências de rádio. Durante a ressonância, uma transferência da energia subtil ocorre, da fonte emissora para o receptor. A energia recebida traz consigo todas as características da fonte, em múltiplos níveis (padrões físicos, energia específica, sentimentos, estados interiores, informação, idéias, etc.).

Yoga e a Lei da ressonância

O que tem o yoga a ver com a lei da ressonância? Todas as técnicas de yoga (asanas, pranayama, meditação, etc.) São modalidades precisas em criarem ressonância com certas energias cósmicas que são específicas para aquela determinada técnica. O tipo de energia com que certa técnica ressoa é revelado por um guru. Esta é a razão pela qual todos os yogis realmente avançados mantêm asanas, ou meditam, ou fazem pranayama, etc., durante horas a fio (não recomendado a principiantes!).

Por isso, o yoga põe à nossa disposição não só um instrumento para autoconhecimento, mas também um grande espectro de ferramentas para desenvolver aquelas áreas do nosso ser que são menos desenvolvidas, para que nos tornemos seres inteiros, completos.

Na física clássica, a ressonância é bem conhecida em mecânica, acústica, eletromagnetismo. Este fenómeno, contudo caracteriza a manifestação inteira do universo. A base da existência da ressonância é o substrato enérgico e vibratório do universo.

Lei da ressonância na física

Em acústica, a ressonância acontece quando um corpo elástico começa a vibrar devido a um sinal sonoro (som) que é produzido perto daquele corpo. No eletromagnetismo, chamamos de ressonância à superimposição de duas frequências de características idênticas (o mesmo comprimento de onda). Quando duas frequências idênticas se superimpõem, a onda resultante é amplificada. Esta amplificação pode alcançar valores muito altos, chamados de pontos da ressonância. Por isso, a ressonância tem como efeito principal a amplificação da intensidade ou a amplitude de um som ou radiação.

Vimos que uma onda nasce sempre de algo que se move. Ondas de luz, ondas de rádio, ondas oceânicas, ondas gravitacionais, ondas sonoras, ondas mentais, ou qualquer outra espécie de ondas, todas existem e manifestam-se porque em algum lugar, algo se está a mover. Nada se pode mover num lugar sem induzir mais cedo ou mais tarde outro movimento noutro lugar do universo. Uma onda faz mover aquelas coisas que estão no seu caminho de forma semelhante ao movimento inicial que gerou a onda.

Interferência

Se duas ondas ‘empurrarem’ um objecto na mesma direcção, o objeto vai mover-se mais depressa naquela direcção. Se duas ondas empurrarem um objecto em direcções opostas, o objecto vai mover-se mais devagar. Se a direcção das duas ondas fizer um ângulo, o objecto modificará a direcção, etc. De facto, nesses casos as ondas não se afectam uma à outra, elas somente interferem uma com a outra. O fenómeno da interferência está a acontecer continuamente no mundo das ondas.

Consonância e dissonância

Digamos há duas fontes independentes de ondas. Neste caso há quatro possibilidades:

  1. Se as ondas tiverem frequências iguais e o mesmo período, eles amplificam uma à outra (ressonância ou consonância).
  2. Se as ondas tiverem frequências iguais e período oposto, eles trabalham uma contra a outra (dissonância, discórdia).
  3. Se as freqüências forem próximas, mas não iguais, eles produzem o fenómeno da batida. A batida é um resultado de uma interferência periódica, por outras palavras, às vezes as ondas amplificam-se uma à outra, às vezes eles trabalham uma contra outra. A onda resultante é uma onda modulada, cuja frequência será a diferença entre as duas frequências iniciais.
  4. Se as freqüências forem muito diferentes, eles não influenciam uma à outra de todo.

Osciladores e sistemas ressoantes

Qualquer objecto que se mova periodicamente pode ser considerado um oscilador. Os osciladores modificam o seu ambiente (por exemplo ar, água, campo gravitacional, etc.) Ao criarem ondas.

Digamos que temos dois violinos afinadosados identicamente. Colocamos os dois violinos em cima da mesa, e num deles produzimos um som ao vibrarmos uma corda. Notaremos que no outro violino (que não tocámos) a corda correspondente (que, por isso, está sintonizada à mesma frequência) também começará a vibrar, produzindo um som semelhante ao som produzido pelo primeiro violino. Isto é um fenómeno de ressonância. Os dois violinos constituem um sistema ressoante.

A lei cósmica de ressonância

Esses fenómenos de ressonância podem ser muito bem atribuídos ao nosso mundo interior de pensamentos, sentimentos e emoções bem como ao nosso modo de associarmo-nos com outras pessoas e com o nosso meio.

Os pensamentos, as sentimentos, as ideias, etc., atraem, evocam e amplificam-se umas às outras pela ressonância. Aqueles pensamentos/sentimentos que não têm frequências iguais não se influam umas às outras. E aqueles pensamentos/sentimentos que têm frequências opostas tendem a cancelarem-se umas às outras.

Exemplos de ressonância

  1. Uma explosão de raiva crescente entre duas pessoas é uma manifestação do fenómeno de ressonância. A pessoa que se zanga cria ondas de raiva que se estendem para o seu meio. Deste modo, a sua raiva será facilmente transmitida a outra pessoa. Se esta outra pessoa aceitar essas frequências na sua aura, ela também se vai zangar, produzindo as ondas da mesma frequência, que irão influenciar a primeira pessoa por ressonância, amplificando a sua raiva. Deste modo, enquanto eles estiverem juntos, as suas raivas crescerão continuamente.
  2. Duas pessoas que concordam com um assunto são atraídas uma à outra, porque elas ressoam.
  3. Um aspecto muito importante da ressonância é a ressonância de grupo. Neste caso, se um grupo de pessoas estiver sincronizado e pensarem ou sentirem os mesmos pensamentos/sentimentos, o poder daqueles pensamentos/sentimentos é muito amplificado. Este fenómeno é muito óbvio em círculos de cura, onde um grupo de pessoas é sincronizado e enviam energia (que é amplificada pela ressonância) a uma pessoa que precisa de ajuda. Deste modo, os participantes não precisam de ser muito poderosos ou habilidosos, porque os seus esforços, ainda que desajeitados, acrescentarão e amplificarão, por ressonância, criando um efeito perceptível, que de outra forma podia não ter sido alcançado por um único indivíduo.

Conclusão

A lei ressonância trata de uma conexão. O modo de criar esta conexão está codificado nas várias técnicas ou ‘modus operandi’ dos vários caminhos espirituais. Quem compreende profundamente a lei da ressonância, encontrou o núcleo de todos as formas de abordar todas as dimensões do universo.